Category Archives: Patrimonio de SP

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL, UMA NECESSIDADE ATUAL!

  A prática de educação patrimonial restringia-se ao âmbito dos museus históricos, cujo termo é uma tradução da expressão inglesa sendo introduzida no Brasil em 1980 no Museu Imperial em Petrópolis.

  1.   A dinâmica da vida atual com suas
  1. transformações passaram a interferir no patrimônio.
  2.   O reconhecimento da própria história agrega padrões e valores sociais estabelecendo um processo educativo que contribui para o desenvolvimento humano.
  3.   A educação patrimonial possibilita a valorização individual e coletiva da preservação de patrimônios.
  4.   É um trabalho com foco no patrimônio cultural que busca levar  a crianças e adultos a valorização de sua herança cultural, para melhor usufruto destes bens, a fim de tornar-se um processo contínuo.
  5.   Ha uma preparação de crianças e adultos para entender e preservar os patrimônios.
  6.   Estabelecer uma relação de afeto e responsabilidade da sociedade para com o patrimônio.
  7.   A população deve priorizar suas atividades artísticas e relatos familiares.
  8.   É importante haver educação patrimonial na educação formal, ou seja, nas escolas.
  9.   A esfera pública deve ser a base da educação na identidade cultural, mas o setor privado também deve se responsabilizar na continuidade da mesma.
  10.   Se houver mais mobilização da sociedade,  teremos novas posturas quanto ao patrimônio cultural.

Casa de Flávio de Carvalho

Boa Noite  Rapaziada !

hoje meu post é um trabalho solicitado pela Docente Angélica e busquei um patrimônio tombado da cidade de Valinhos , e escolhi esse pela curiosidade  do formado em que a casa foi construida

Localização: Casa sede da Fazenda Capuava

Número do Processo: 00286/73

Resolução de Tombamento: Resolução de 12/05/1982

Publicação do Diário Oficial

  • Poder Executivo, Seção I, 21/05/1982, pg 13Livro do Tombo Histórico: inscrição nº 270, p. 70, 25/03/1987A casa sede da Fazenda Capuava, ou Casa de Flávio de Carvalho, foi projetada e construída por Flávio de Carvalho (1899-1973) que, até a sua morte, deteve a propriedade e usufruto do imóvel. A residência, com 650 m2 de área construída, e catorze cômodos, testemunha a irreverência do arquiteto na adoção de solução para os espaços. A grande sala, de 16,50 x 7,50 m, sem divisões, centraliza a construção, ladeada por duas varandas, ambas com saída para a estrada. Na elevação principal uma grande porta central, com 8 m de altura, marca o acesso principal, voltado para a piscina.

00286-1973-Principalhttp://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=ee05ac9aa4acc010VgnVCM2000000301a8c0____

Casa Rosa

Essa ultima quarta eu mais a turma do Senac fomos a uma audiência publica para decidir a questão do tombamento da casa rosa

Em um evento histórico na Câmara Municipal, a Prefeitura de Jundiaí e o Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural (Compac) encaminharam na noite dessa quarta-feira (6) o processo de tombamento da “Casa Rosa”, como é conhecido o casarão remanescente do estilo chamado eclético do início do século 20 localizado no trecho da rua Barão de Jundiaí que envolve referências como o antigo Grupo Escolar Siqueira de Moraes, atual Pinacoteca e o Teatro Polytheama, ambos oriundos do mesmo período.

Fonte : http://www.jundiai.sp.gov.br/noticias/2015/05/07/audiencia-publica-encaminha-tombamento-da-casa-rosa/

audiência da casa rosa acima

IMG-20150506-WA0023Pessoal antes do inicio da audiência